Pequenos Negócios: Confira dicas para evitar devedores

pequenos-negocios:-confira-dicas-para-evitar-devedores

Após mais de um ano de pandemia, o número de consumidores inadimplentes no Brasil segue crescendo.

De acordo com dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), o índice desse comportamento aumentou 5,1% no mês de abril em relação a março, e 5,8% se comparado ao mesmo período em 2020.

Entre as razões para que as pessoas deixem de pagar suas contas estão, sobretudo, o desemprego e a diminuição da renda — fatores especialmente fragilizados com a crise da Covid-19.

Se a situação é ruim para o devedor, do outro lado, empreendedores também ficam alarmados.

Com custos como folha de pagamento, estoque de produtos, fornecedores, aluguel e contas de luz e internet, as empresas acabam se encontrando diante de dificuldades para cumprir suas obrigações.

“A inadimplência é uma das principais causas de quebras de pequenos negócios, que muitas vezes precisam dos pagamentos em dia para não causarem prejuízos no fluxo de caixa e até mesmo se endividarem”, comenta Piero Contezini,  CEO da fintech Asaas, que oferece uma plataforma completa para gestão de pagamentos, cobranças e antecipação de recebíveis focada em micro e pequenas empresas.

Para ajudar esses empreendimentos a evitarem devedores, o especialista dá 5 dicas para a prevenção da inadimplência. Confira!

1. Tenha um contrato claro

“O primeiro passo para diminuir os índices de inadimplência é definir quais os prazos e as formas de pagamento que deseja disponibilizar para o cliente, assim como quais serão as consequências da quebra deste acordo”, reitera Piero.

Com essas regras estabelecidas e informadas de forma clara ao cliente, você terá menos chances de que ele se torne um devedor e ainda garantirá o direito de retornar todos os juros e multas que forem definidos.

2.  Não venda no “fiado” 

Segundo o CEO do Asaas, vender fiado não vale o custo-benefício, pois gera insegurança para o negócio e dificulta a cobrança do devedor, considerando que não há como comprovar a transação comercial efetuada.

Apesar dessa dica já ser bastante popular, a realidade é que muitos negócios brasileiros ainda têm o hábito de aceitar esse tipo de pagamento.

No último Relatório de Cidadania Financeira do Banco Central do Brasil, 42% dos microempreendedores individuais (MEIs) apontaram que realizavam vendas dessa forma, mesmo com 86% deles já tendo vivenciado algum problema para receber pagamentos.

Designed by @pressfoto / freepik

3. Avalie a situação do cliente

Antes de conceder crédito a um cliente, é importante fazer uma pesquisa sobre sua saúde financeira no Serasa Experian. 

“Essa é uma ótima maneira de descobrir se o consumidor é um bom pagador e reduzir drasticamente as chances de calote, já que será possível tomar decisões sobre as vendas baseadas em dados confiáveis.

Isso permite, por exemplo, que se negue um pagamento parcelado para quem tem histórico ruim”, comenta Piero. 

A consulta pode ser feita por CPF ou CNPJ e gera um relatório com informações como Score financeiro, dívidas no varejo, pendências bancárias e registro de protestos em nome do pesquisado.

4. Ofereça promoções no pagamento à vista

Outra dica valiosa para quem quer evitar devedores é priorizar os pagamentos à vista. É possível oferecer vantagens como descontos ou brindes para incentivar o comprador a realizar o pagamento na hora.

Dependendo da situação e do histórico do cliente, outra possibilidade é solicitar uma entrada antes do parcelamento.

Dessa forma, caso ele fique inadimplente, ao menos você terá garantido um  valor inicial para cobrir os gastos da venda.

5. Lembre os clientes do prazo de pagamento

Muitas vezes, a inadimplência acontece por simples esquecimento do consumidor. Por isso, Piero Contezini recomenda o envio de notificações como lembretes da aproximação da data de vencimento.

Os avisos também podem continuar após o prazo da cobrança quando o pagamento não é realizado. “Alguns empreendedores deixam de receber por terem medo de se indispor com o cliente ou até por falta de tempo.

Se a empresa não tem pessoal suficiente ou experiência para fazer uma cobrança sem constrangimentos, a tecnologia pode ajudar com a automatização dessa tarefa” , explica o CEO.

Hoje, já existem softwares que enviam e-mails e SMS com esse propósito, além de robôs que fazem ligações de voz.

Entre os clientes do Asaas, o uso dessa ferramenta ajudou a diminuir em até 50% a inadimplência.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *